HOME SOBRE CONTATO

Dica: Ocupação Laura Cardoso


 
  Mês passado fui na exposição que homenageia a atriz  Laura Cardoso lá no Itáu Cultural.


  Esse ano, o instituto comemora 30 anos (já?!) e, para comemorar, o espaço vai dar início a uma série de reflexões sobre o nosso tempo e a nossa sociedade, e como esses temas podem ser abordados através da arte e da cultura brasileira.


  E, pra começar, a homenageada é a atriz Laura Cardoso. que em 2017, completa 90 anos de vida e mais de 70 de carreira.


  Laurinda de Jesus Cardoso é filha de imigrantes portugueses e cresceu no bairro da Bela Vista, em São Paulo. Desde pequena já mostrava seus dotes para a arte, sempre quis ser atriz. Sua vida foi dedicada totalmente à arte, trabalhou em rádios, no teatro, fez várias novelas e também fez sua participação no cinema, o que acarretou em vários prêmios.

  A ocupação mostra toda a trajetória da atriz pro público, os processos criativos da atriz, suas memórias, inclusive dá para folhear as falas de suas personagens com algumas anotações da atriz, tem inúmeras fotos , espaços onde o visitante pode sentar em uma poltrona e assistir à alguns de seus trabalhos como atriz e  depoimentos de pessoas que trabalharam com ela.

  Um dos vídeos que o visitante consegue assistir lá no espaço:


  Uma das partes que mais me chamou a atenção foi os obstáculos que teve de superar por ser mulher, se hoje em dia, ainda é difícil, imagina há 70 anos atrás?

  Mas Laura, só mostrou o quanto é capaz e hoje sua trajetória é repleta de sucessos.

  A ocupação está linda e merece muito ser visitada. Recomendo pra quem gosta de arte e cultura brasileira. E você ainda ganha uma revista (melhor, um livro) que conta a história da atriz e está cheio de fotos.


  A mostra vai até o dia 30 de abril e o melhor, é de graça!

  Endereço:
  Itaú Cultural
  Avenida Paulista, 149.

  Horário de Funcionamento:
  De terça à sexta das 9h às 20h.
  Sábados, domingos e feriados das 11h às 20h.

  Corre ver porque tá linda.

  Informações retiradas do site Itaú Cultural.

Resenha: Falando o mais rápido que posso


 Não é novidade pra ninguém que sou super fã de Gilmore Girls, aliás, quem não é?

 Quando soube que a atriz Lauren Graham havia escrito mais um livro, e este era autobiográfico, fiquei empolgada na hora pra ler. Já li "Quem Sabe um Dia", há um tempinho (já tem resenha no blog, só clicar aqui), também lançado pela editora record, lembro de ter me decepcionado um pouco, a premissa é bem boa, mas achei que se o livro fosse cortado pela metade não faria falta, muita coisa a mais...mas é uma ótima leitura!

Enquanto o primeiro livro é ficcional, embora quem lê, entende que existe um quê de história de vida ali, "Falando o mais Rápido que Posso: de Gilmore Girls à Gilmore Girls e tudo no meio do caminho", é completamente autobiográfico, ela nos conta exatamente o que houve em sua carreira, época de faculdade e não esconde sua emoção em voltar a ser a personagem mais importante de sua carreira: Lorelai Gilmore. (aliás vai se preparando emocionalmente pra ler esse livro, o leitor consegue sentir a emoção da Lauren através de sua escrita, impossível não se emocionar) 

 Lauren começa nos contando como foi sua infância, o tempo em que ela morou numa casa barco com o pai, suas primeiras peças na época de faculdade, seus primeiros empregos...até sobre a ditadura da beleza em Hollywood e como é ser solteira nesse mundo dos famosos.

 Todos sabemos em como é difícil se dar bem na carreira de atriz, e ler sobre isso da maneira como Lauren escreveu já teria valido à pena a leitura, ela é muito engraçada (muitas vezes pensava em Lorelai escrevendo ali), uma vez ela precisou usar uma fantasia de cachorro e passar por um teste de bumbum perfeito...várias vezes me peguei rindo na leitura.

 Ela é bem discreta no que diz respeito aos relacionamentos amorosos que teve, até quando comenta sua relação com Peter, a gente percebe sua discrição, mas percebemos o quanto está feliz e o carinho que tem por ele.

 Mas, a parte mais emocionante do livro, sem dúvidas, é quando ela escreve sobre Gilmore Girls. Primeiro, ela nos conta alguns problemas que a série enfrentou antes mesmo de ir ao ar...Quase a atriz não foi a Lorelai (consegue imaginar a Lorelai sem a Lauren?), no mesmo período ela estava gravando uma outra série de Tv, e a série quase foi cancelada pois iria ao ar na mesma grade horária que Friends, o que já era um sucesso, como bater de frente com eles?

 Quando a comunicaram que haveria a gravação do revival, a atriz assistiu aos 153 episódios da série e comenta cada temporada, quais foram seus capítulos preferidos, seu corte de cabelo e como era impossível domá-lo, suas roupas e sobre como foi difícil gravar a última temporada, os atores deixaram o set sem nem saberem que aquele seria o último capítulo.

  "A melhor parte desta temporada: episódio 9, 'A volta da filha pródiga', no qual Lorelai e Rory fazem as pazes! Em frente à própria casa, Lorelai diz à filha que ela parece muito mais "prateada" do que se lembrava. Eu simplesmente amo pequenos toques poéticos como esse. E aquele abraço de reconciliação foi de verdade! Ambas estávamos muito animadas em voltar aos momentos felizes."
(pág. 96)

 A emoção chega ao ápice quando ela escreve sobre as gravações de "Gilmore Girls - Um ano para Recordar". (se ainda não pegou o lencinho até aqui, pode separar a caixa de uma vez!) 

 Ela escreve com tanta maestria, com tanta emoção que nos parece quase tocar esse universo de Stars Hollow. 
 É impressionante como todos os atores se dão bem, como realmente são uma família, talvez grande parte do sucesso da série seja esse. 
 Ler Lauren escrevendo sobre Ed é realmente arrebatador, não consegui ler sem chorar, se pra nós fãs, já foi difícil e bem estranho assistir Emily sem Richard, a gente pode ter uma ideia do que foi pros atores gravarem sem ele...

 Não consigo explicar, mensurar tudo o que esse livro me fez sentir, chega a ser mágico! Parecia que estava ali, em Stars Hollow batendo um papo com a Lauren Graham, superou todas as minhas expectativas.

 Se você é fã do seriado, também deveria lê-lo, que sabe você, assim como eu, também não visite Stars Hollow!
 (Pra entender o porquê dessa música, só lendo mesmo...mas te garanto ser uma das cenas mais emocionantes)

 Livro: Falando o mais Rápido que Posso
 Autora: Lauren Graham
 Editora: Record
 Páginas: 239

 Um beijo e até o próximo post.
 Bá.

Resenha: Mr. Mercedes

 Pare tudo o que estiver fazendo e prenda a respiração, e só soltem quando terminar de ler o post...pois foi exatamente dessa maneira que eu li o "Mr Mercedes" do Stephen King.
 Simplesmente eu não desgrudei do livro enquanto não cheguei ao fim! Há tempos eu não sentia uma conexão tão grande com um livro, daqueles que você não consegue parar a leitura, o famoso 'Só mais um capítulo',  teve capítulos que quando parava a leitura sentia meu coração acelerado, de tanta adrenalina que possui esse livro. É F-O-D-A!

 Mr. Mercedes é o primeiro livro da trilogia Bill Hodges (que inclusive já tive que encomendar o segundo) e o que prende o leitor não é tentar descobrir a pessoa que cometeu os assassinatos (já explico), isso logo nos primeiros capítulos o autor já deixa claro, mas sim, a busca do detetive aposentado Bill Hodges por saber quem foi o culpado por jogar um carro em cima de tantas pessoas.

  O livro começa narrando uma conversa entre Augie e Janice Cray, ambos acabaram de se conhecer em uma fila de candidatos para vagas de emprego. 
 Mas logo no capítulo seguinte, o autor nos mostra o porquê do título desse livro, um rapaz rouba um Mercedes e o joga em cima dessas pessoas da fila, ferindo e matando vários, inclusive esses já mencionados.

 Bill era o detetive responsável do caso, era porque ninguém nunca descobriu o autor do massacre (o rapaz arquitetou muito bem o plano, antes de abandonar o carro usou água sanitária e apagou qualquer registro deixado por ele) e ele decide se aposentar. 

 O Det. Apos. não faz nada nos dias atuais, a não ser comer, dormir, assistir programas de auditório e decidir se vai cometer o suicídio ou não. 

  Até que um dia, junto com as cartas entregues pelo correio, recebe uma de ninguém menos que o Mr. Mercedes, dizendo entre outras coisas, que o detetive falhou, o que ele sentiu ao fazer o que fez...e que ele sabe que o detetive anda querendo cometer o suicídio, ou seja, ele anda o observando, e oferece um contato, caso Bill queira falar com ele. Ele criou um nome de usário (kermistapo19) num site chamado 'Under Debbie's Blue Umbrella", deixando assim o detetive aposentado com uma pulga atrás da orelha.

 Como que Bill conseguiria conviver com isso? Esse caso mexeu demais com ele pra simplesmente descartar essa carta e voltar a sua rotina normal. Então ele decide revirar todo o passado, mexe em suas anotações, sai com seu antigo parceiro pra tentar saber se houve alguma descoberta no caso, vai atrás da família da dona do carro que foi usado no massacre...e tudo isso escondido, ele não quer que a polícia saiba, por enquanto, porque aí, como ele está aposentado, terá que se afastar. Mas para ele, encontrar esse sujeito é questão de honra agora! 

  Enfim, a história gira em torno disso o tempo todo, na busca de Bill pelo autor do crime. 

 Se você é fã do gênero, o meu conselho é: comece a lê-lo logo! Antes que o caminhão de sorvete chegue na sua rua...😉.

 Livro: Mr. Mercedes
Autor: Stephen King
Editora: Suma das Letras
Páginas: 393

 Um beijo e até o próximo post.
 Bá. 

Livros Lidos em Março

 Olá leitores, vamos aos meus 'Livros Lidos' no mês de março.


 1. A Sala dos Répteis - Desventuras em Série (Lemony Snicket)
  Comecei o mês lendo o livro 2 de 'Desventuras em Série'. Depois de todo aquele sofrimento que as crianças Baudelaire passaram no livro 1, quando a gente pensa que vai melhorar, tudo piora novamente. Esse Conde Olaf não dá uma trégua.


 2. Paris para Dois um (Jojo Moyes)
  Sobre a escrita, a trama, a apresentação dos personagens...não tenho o que falar, Jojo sem dúvida alguma é minha autora de livros de romance preferida! Mas, a edição desse livro deu o que falar...achei vários erros de digitação (e olha que esse livro é recém lançado), e não gostei da forma do livro, começou com uma história (a que dá nome ao livro), depois teve vários contos e terminou com outra história, não gostei dessa mistura...ou é livro de contos ou não é, mas enfim, livro amorzinho sobre uma moça que compra passagens para Paris pra ela e seu namorado e ele a deixa ir sozinha. Ela precisa aprender a sair da zona de conforto e viver esses dias em Paris sozinha.

 3. Mr. Mercedes (Stephen King)
 O que dizer desse livro? É S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L! Há tempos um livro não tinha o poder de me prender na leitura como esse teve, expliquei um pouquinho mais na resenha que escrevi no blog, só clicar no título.

 Essas foram minhas leituras.
 E vocês? Gostaram do que leram?

 Beijos, Bá.

Tag: Cachorros Literários

  Olá leitores!
  Há tempos não respondo alguma Tag aqui no blog...vasculhei alguns vlogs e blogs e achei essa engraçadinha "Cachorros Literários". Basicamente, consiste em associar livros com algumas raças <3!
 Descobri essa Tag no canal Allison 7 Potter e, segundo ele, quem criou foi a Vanessa Chanice

 Não gosto de ficar tagueando ninguém, então se gostou das perguntas sinta-se tagueado e responda também.;)

 1- Shi Tzu - Um livro que você leu porque estava na moda:
 Acredito que muitos livros que lemos são porque estão na moda, todo mundo está falando, comentando, como não ler? Vou dar um exemplo aqui que foi o "Não sou uma dessas" da Lena Dunham. Na época eu acompanha o seriado Girls e todo mundo comentava desse livro, comprei, li e adorei a leitura! Bem boa mesmo! Eu não fiz resenha mas escrevi um trecho aqui no blog.

2- Pit Bull - Um livro que você ainda não leu ou demorou pra ler porque estava intimidado pela leitura:

 Muitos livros considerados clássicos trazem essa carga de intimidação, ou porque achamos ser de difícil entendimento ou que teremos que ficar com o dicionário junto...eu era assim com Jane Austen, tinha vontade de ler mas o medo era maior, até que resolvi dar uma chance e me apaixonei por Austen! Se você ainda não leu, não sabe o que está perdendo.

 3- Pinscher - Um livro que fizeram 'barulho demais' quando foi lançado, mas que não fez jus aos comentários:

  Que me acompanha aqui sabe que não curti muito "Se eu ficar" da Gayle Forman, a premissa do livro é muito boa, mas acho que a autora não soube aproveitar muito bem isso, sei que muita gente vai me odiar, mas opiniões são diferentes né? Comprei de tanto que falavam, todo mundo naquele alvoroço todo e quando li tive o sentimento de "Nossa, era isso que tava todo mundo falando?". Enfim, é isso.

 4- Vira Lata - Um livro que não  muito valorizado ou conhecido, mas que é o melhor livro do mundo:
 Discordo em dizer que é o melhor livro do mundo, aliás muito presunçoso dizer isso...são tantos livros, eleger um é bem difícil. Eu mesma não conhecia esse livro, o ganhei e me apaixonei pela história, é Yakuza Moon, a vida de Shoko, filha de um chefão da máfia japonesa, a Yakuza, já escrevi sobre ele aqui no blog, visite lá pra entender um pouquinho mais desse livro. Só clicar no título.

 5- Pastor - Um livro que você não empresta pra ninguém:

 É difícil ter um livro que eu goste de emprestar na verdade, se for contar todos os livros que emprestei e nunca mais me devolveram...enfim, se fosse pra escolher um acho que seriam meus exemplares de Harry Potter, são meus xodós, foram caros e seria BEM DIFÍCIL emprestá-los.

 6- Salsichinha - Um livro que tem 'muito corpo, pra pouco perna', ou seja, que poderia ter sido encurtado pela metade, porque tem muita encheção de linguiça:

 Mais uma resposta que vão me odiar... "Os Bons Segredos" da Sarah Dessen, calma! Eu gostei bastante da premissa, da escrita da autora (foi meu primeiro livro dela), mas acho que metade do livro daria pra ser cortado de boa, iríamos entender a mensagem da mesma maneira. Já fiz o rascunho da resenha, vou postar aqui pra vocês entenderem melhor o que quis dizer.

 7- Labrador - Um livro que é sua melhor lembrança da infância:
 Sempre será "O Diário da Pequena Vampira", meu primeiro livro comprado com minha mesada numa feira do livro na escola, acredito que estava na 4ª série, e me apaixonei pela leitura a partir daí...não parei mesmo. Tenho até hoje esse livro e é o meu tesouro. 

 E ae? Se divertiram com as perguntas? 
 Gostaram das minhas respostas? Respondam também, quero saber quais livros vocês escolheriam.

 Beijos e até o próximo post.
 Bá.
© Café com Livros - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento por: Colorindo Design - Tecnologia do Blogger.