HOME SOBRE CONTATO

Resenha: Dias de Abandono


Livro: Dias de Abandono
Autora: Elena Ferrante
Editora: Biblioteca Azul
Páginas: 183

Diário de Leitura

18/06 - 100 páginas 
"E você não é uma mulher de trinta anks atrás. Você é de hoje, segure-se no hoje, não regrida, não se perca, se segure...Ele foi, você fica. Organize as defesas, conserve sua inteireza, não se faça quebrar como um objeto de decoração."
(pág. 54)

21/06 - concluído.

Resenha e Opinião 
  Terceiro livro da autora que leio e mais uma vez tenho que dizer, essa mulher (ou  não?!) é incrível! Que escrita! 

  Se bem que o segundo que li (A Amiga Genial) me decepcionei um pouco, mas esse...minha nossa é bom! 

  'Dias de Abandono' foi lançado ano passado pelo selo Biblioteca Azul da editora Globo e fala sobre o ABANDONO da maneira mais crua e triste que se pode imaginar.

  Olga, mãe de dois filhos, 36 anos, é casada com Mario. Possuem uma vida 'normal' sem muitos altos e baixos, os dois vivem ali na casa sua rotina diária com seus dois filhos, sem muita emoção.

  Até que durante um jantar, Mario decide informá-la que irá sair de casa, o que de fato acontece naquela noite.

  Olga, pensando em se tratar de uma fase, no começo não liga muito, pois há uns anos atrás ele já fez isso e ñ demorou muito a voltar. Mas agora ela começa a perceber que esse retorno está demorando demais e aí vem o desespero.

  Todos os sentimentos ligados ao abandono começam vir à tona, ela se sente traída (pois descobre que Mario está com uma garota que frequentou sua casa quando tinha 15 anos), se sente trocada, usada...e esquece dela mesmo.

  Esquece de que precisa cuidar da casa, dos filhos, pagar as contas, arrumar um trabalho, muitas vezes ela voltava em si e estava na praça com o cachorro da família de camisola.

  É deprimente vê-la passar por tudo isso, ter que reaprender a viver naquela casa que antes tinha as tarefas divididas entre mãe e pai, agora é tudo com ela.


  É difícil demais pra Olga ter que lidar com tudo isso, com essa mudança repentina em sua vida, como o livro é narrado em primeira pessoa, o leitor aconpanha com a personagem todas as fases do luto, porque perder não deixa de ser um luto, a negação, a raiva...

  Gostei muito de como a autora fez esse tema tão 'romantizado' parecer normal pro leitor. Porque é. Essa geração que diz que mulher precisa ser forte, que não tem que sofrer por um amor, não é uma ideia ultrapassada, a gente sabe que isso é lindo na teoria, mas na prática...quem nunca sofre por amor que atire a primeira pedra né minha gente? 

Livro bom demais! 
Recomendo! 

Até o próximo post.
Bá.

Li até a página 100 e...

  Olá leitores, faz tempo que não faço esse post sobre a minha percepção nas primeiras 100 páginas do livro, gosto tanto desse post, porque às vezes tudo o que achávamos muda, mas eu sempre esqueço de escrever, na maioria das vezes que lembro, já passei da página 100...rs

  O livro que estou lendo é "Princesa de Papel" da Série The Royals, escrito pelas autoras Elle Kennedy e Jen Frederick que usaram o pseudônimo Erin Watt, e por enquanto, estou gostando muito!

  1. Primeira frase da página 100:
  'Passo o dia explorando a casa e o terreno.'

  2. Do que se trata o livro:
  O livro conta a história de Ella Harper, uma garota de 17 anos que nunca conheceu o pai e que acabou de perder a mãe pro câncer, dá um duro danado pra conseguir estudar e se sustentar, chegou a ter três trabalhos diferentes. Até que um tal de Callum Royal, ao que tudo indica é o melhor amigo de seu pai, chega em sua vida e diz ser seu tutor, pois o pai, Steve, acaba de falecer. E a partir daí, sua vida inteira muda, pois os Royal são milionários, e pra quem sempre teve que dar duro pra ter o que comer, ter tudo ali a sua disposição é um pouco estranho. E, além disso, ela terá que lidar com os filhos de Callum que não gostam nenhum pouco da ideia do pai ter levado uma garota pra casa, eles acham que ela o está 'usando' (se é que vocês me entendem). 

  3. O que está achando do livro?
  Me surpreendeu, quando o peguei em mãos, achei que era um livro típico adolescente, história de princesa, algo relacionado à série Seleção, mas que nada, esse livro não tem nada de bobinho, princesas querendo encontrar o grande amor, claro que já percebi que terá um casal aqui, mas esse não é o foco do livro, pelo menos até aqui.

  4. O que está achando da personagem principal:
  Estou apaixonada por Ella, mesmo sabendo que tem tudo em suas mãos, uma mansão, um carro, uma mesada de 10.000, ela não deixa ser levada pela situação, não deixa ninguém humilhá-la, a única coisa que ela quer e estudar e ir pra faculdade. 

   5. Melhor quote até agora:
  "Ele é lindo o bastante para minha boca secar e eu começar a formigar em partes que eu gostaria de pensar que um babaca como ele jamais faria despertar. Mas outra lição que aprendi com a minha mãe é que seu corpo pode gostar de coisas que sua cabeça odeia. Só que é a cabeça que tem que estar no comando. Esse era um dos conselhos dela estilo 'faça o que eu digo e não o que eu faço' ".

   6. Vai continuar lendo?
  Com toda certeza absoluta, já me envolvi demais com os Royal pra desistir! 

  7. Última frase da página:
  "Debaixo do papel tem uma caixinha branca, respiro pesadamente."

  E vocês? Conhecem a Série?
  Beijos e até o próximo post.


Resenha: Drogas: As Histórias que não te contaram


  Livro: Drogas: As Histórias que não te Contaram
  Autora: Ilona Szabó com Isabel Clemente
  Editora: Zahar
  Páginas: 199

  Diário de Leitura
  Dia 30/05: 60 páginas.
  "Os debates esbarram muitas vezes em uma muralha chamada medo...acontece que tabus também despertam fascínio."                                                                                                              (pág. 16)

  Dia 05/06: 132 páginas.
  "O que esperava da polícia...livrar-se da queda de braço contra a insegurança, sua principal parceira de vida."                                                                                                                    (pág. 67)

  Dia 06/06: Concluído.
  "Cadu, como Daniel e tantos outros, foi salvo também pelo amor."                                   (pág. 174)

Resenha e Opinião

  Mais do que nunca precisamos falar sobre drogas!
  É um assunto que incomoda, gera desconforto mas que está presente em nosso dia a dia, quer você queira ou não. Mesmo que você não conheça um usuário, ou que a droga não te afete direta ou indiretamente, é um tema que precisa ser abordado.
  
  Se você, como nosso querido prefeito, também acha que todo viciado deve estar preso, deve ser expulso da sociedade (porque é o que ele fez na Cracolândia recentemente)...precisa ter esse livro em mãos. O problema é muito mais embaixo, como escreveu Drauzio Varella no prefácio deste 'nenhum ser humano será resgatado de sua dependência por ameaça ou castigo', pelo contrário, isso só o afastará mais ainda das pessoas que o amam e que poderão ajudar.

  Aqui, Ilona Szabó, que é especialista em segurança pública e política de drogas, e a jornalista e escritora Isabel Clemente, narram a trajetória de cinco pessoas envolvidas com o negócio da cocaína.

  Daniel, que era apenas um garoto quando seus pais, que tiravam o sustento do plantio da coca, o entregaram para grupos armados na Colômbia que têm no narcotráfico sua principal fonte de financiamento.

  Irina, moça de boa família, se apaixona por uma traficante, e que para livrar a barra do marido, tenta transportar quilos de cocaína em malas dentro de um barco.

  Mete-Bala, um jovem traficante, pego pela polícia, que quando criança sonhava em ser dançarino.

  Jaqueline, uma policial que aprendeu da pior e mais difícil maneira, que só o amor pode ajudar e curar.

  E Cadu, um jovem banqueiro que se torna dependente da droga e está na luta até hoje, pois não há cura e sim tratamento para o vício.

  Muitas vezes, julgamos sem conhecer o porquê de tudo isso, o porquê de ser um traficante, um viciado, muitas crianças enxergam nesse 'negócio' um dinheiro fácil e rápido, num país que não da estrutura, educação nenhuma, é muito fácil concluir qual caminho uma criança sem estrutura alguma prefere seguir.

  Esse livro causa impacto pois nos traz casos com cenários e dados reais sobre o efeito da droga, não só no usuário mas na sociedade como um todo.

  Um livro que deveria ser lido em escolas, virar debate e tudo o mais.

  Esclarecedor e muito bem escrito.
  Recomento muito!

  Nota: *****

  Booktrailer:

  
  Espero que tenham gostado da resenha e desse novo formato de post.
  Beijos e até o próximo.

  Bá.

  

Dica: Outro Eu

  Olá leitores, como vão?
  Hoje darei a dica de uma banda, que pra quem gosta de MPB, precisa ouvir!

  "Outro Eu" é uma banda formada por 4 garotos que estrearam no programa 'SuperStar' com uma música autoral, levantaram o público e e a tela, tiveram 93% de aprovação, indo pra final, porém não foram vencedores.
  A banda é bem recente e foi montada praticamente pro programa, os amigos já tinham essa ideia em mente há um ano e meio antes do reality, e, acharam uma ótima oportunidade! (ainda bem pra nós).
  Perguntados sobre o que os influenciaram no álbum logo respondem Maria Gadú e Los Hermanos, tanto é que gravaram a música 'Dona Cila', que também já foi por Gadu.
  Se você gosta do gênero, o álbum acabou de ser lançado nas plataformas digitais e tá lindo!

  Algumas das minhas preferidas:

  (O que Dizer de Você)

(Zade)

(Coisa de Casa)

  Espero que gostem da dica.
  Um beijo, Bá.

Resenha: Achados e Perdidos

  Achados e Perdidos  é o livro II da trilogia Bill Hodges do autor Stephen King. Depois de ser o protagonista em Mr. Mercedes (resenha aqui), o Det. Apos. demora a aparecer nesse livro, primeiro o autor nos coloca na cena de um crime e depois de muitos anos, Bill e Holly, que agora virou ajudante de Bill, tentam desvendar esse mistério.

  John Rothstein é um escritor famoso, autor dos livros Jimmy Gold, também uma trilogia. É sobre um personagem que sai de casa para se aventurar no mundo. John nunca gostou do sucesso, não dava entrevistas e nunca publicou mais nada, por mais que já tivesse escrito vários rascunhos de continuação da história que o tornou famoso.

  Morris Bellamy, muito fã dos livros, teve uma vida bem difícil desde sua infância. Sua mãe bem autoritária, não conseguiu mudar o pai que era um alcoólatra e adúltero. Distante de sua vida, Morris encontrou consolo nos livros e se identificou muito com o herói Jimmy Gold, porém, o último livro era motivo de ódio pra ele, detestou o rumo da história....ouvindo boatos de que o autor tinha em sua casa vários rascunhos sobre o personagem, e com a ilusão de que o autor tivesse dado um fim diferente pra ele, Morris resolve arrombar a casa, com a ajuda de dois comparsas, rouba dinheiro (mesmo que esse não era o principal objetivo), os cadernos e no fim o mata.

  Curioso para ler a continuação dos livros, mal teve tempo de pegar nos cadernos, os colocou dentro de um baú e os enterrou num terreno perto de sua casa, certo de que a poeira ia baixar logo pra conseguir lê-los sem distração e perigo algum. Mas, acaba cometendo outro crime e é preso, sem nunca ser descoberto como o assassino do autor John Rothstein.

  Nesse meio tempo, conhecemos a família Saubers, que por ironia do destino (ou não?!), vão morar na antiga casa do assassino. Tom, o pai, foi uma das pessoas que ficaram gravemente feridas no atentado do Mercedes, no livro 1, e, como não consegue arranjar emprego, precisa andar de muletas, é sua esposa, Linda, que sustenta a casa, o que acarreta em várias brigas e discussões entre o casal. Peter e Tina, os filhos, tentam fingir que nada acontece, mas está cada dia mais difícil.

  Em um dia que Peter estava caminhando por um terreno, encontra o tesouro de Morris, e fica fascinado com os cadernos do autor que foram guardados pelo garoto por mais de 4 anos. Durante esse tempo, Morris, consegue sair da cadeia e não encontrando o seu grande tesouro, começa a busca por ele.

  E é nesse momento que Bill entra na história, pois Pete começa a agir de uma maneira estrana e sua irmã busca ajuda.

 O segundo livro da trilogia é tão bom quanto o primeiro (Stephen gênio), não é uma sequência, ou seja, sem ler o primeiro o leitor consegue compreender a história. Diferente do primeiro volume, o foco aqui é em vários personagens e não só no detetive e no grande vilão.

  O autor provou mais uma vez o porquê de ser o best seller do gênero, o típico livro que a gente não larga enquanto não chega o fim!
 Que venha o livro 3!!

 Livro: Achados e Perdidos
 Autor: Stephen King
 Editora: Suma de Letras
 Páginas: 335

 Beijos e até o próximo post.
 Bá
© Café com Livros - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento por: Colorindo Design - Tecnologia do Blogger.